A geração distribuída
02 ago 2019

Geração distribuída – O futuro da geração de energia9 min de leitura

Com a evolução das tecnologias, na busca pela diversificação da matriz energética ou ainda para minimizar os impactos ambientais de fontes não sustentáveis de energia, a geração distribuída vem ganhando cada vez mais espaço na mídia e também na prática.

Muita gente está passando a conhecer este conceito agora mas nós que trabalhamos com geração de energia fotovoltaica já o temos em mente e sabemos dos seus benefícios.

Para você que não está muito por dentro do assunto, hoje vamos esclarecer o que é essa tal geração energética distribuída, para que ela serve e como este tipo de produção de energia pode beneficiar não só você mas todos!

A geração de energia no Brasil

Gerar energia para uma cidade inteira é um processo grandioso, complexo e ao mesmo tempo, para quem não trabalha com isso, é praticamente transparente, invisível.

A geração de energia no Brasil é feita majoritariamente com usinas de energia hidrelétrica, aquelas que represam gigantescas quantidades de água e a direcionam para grandes turbinas que, movidas pela força da água, são responsáveis pela geração energética.

Além das hidrelétricas, geramos energia com petróleo, com carvão mineral, com biocombustíveis, e com algumas outras fontes utilizadas em menor escala, como gás natural e a energia nuclear.

A capacidade de geração de energia elétrica do Brasil

De acordo com a ANEEL, na data em que escrevemos, Agosto de 2019, o Brasil tem 7.477 empreendimentos em operação, totalizando 165.962.053 kW de potência instalada.

Para os próximos anos provavelmente teremos uma adição  de 22.745.461 kW na capacidade de geração do Brasil.

Geração de energia hidrelétricaComo funciona essa geração de energia?

A geração de energia, independente da fonte, é gerada de forma centralizada.

É sempre uma grande construção (uma usina hidrelétrica, nuclear, etc.) que produz enormes quantidades de energia e, dali, ela é distribuída através de uma complexa rede de transmissão até chegar na sua casa ou empresa.

Para evitar os custos com a transmissão e com a distribuição de toda essa energia, a geração distribuída se apresenta como uma excelente saída.

A geração distribuída

A GD pode ser compreendida como uma fonte de eletricidade ligada à rede de distribuição ou situada no próprio local de consumo. No Brasil, a definição de geração distribuída foi feita no segundo ano do governo Lula com o decreto de Lei nº 5.163.

Neste decreto, o governo conceitua geração distribuída da seguinte forma:

Geração distribuída é a produção de energia elétrica proveniente de empreendimentos de agentes concessionários, permissionários ou autorizados conectados no sistema elétrico de distribuição do comprador, exceto aquela proveniente de empreendimento hidrelétrico com capacidade instalada superior a 30 MW e termelétrico, inclusive de cogeração, com eficiência energética inferior a 75%.

Na prática, a GD é como se todo mundo tivesse uma CEMIG própria em casa, gerando a sua própria energia.

Como se não bastasse, além de produzir a energia que consome, todo mundo ainda poderia produzir a mais para vender para a rede.

Geracao distribuídaA geração distribuída na prática

A Resolução Normativa 482, de 17 de Abril de 2012 veio definir como deve funcionar a geração distribuída na prática e estabeleceu a possibilidade para micro e minigeradores de energia:

  • Microgeradores de energia distribuída: Sistemas de geração de energia renovável ou cogeração qualificada conectados a rede com potência até 75 kW;
  • Minigeradores de energia distribuída: Sistemas de geração de energia renovável ou cogeração qualificada conectados a rede com potência superior a 75 kW e inferior a 5 MW.

Na prática, você pode instalar um sistema para produzir energia elétrica na sua casa e a partir daí vender a energia que você não utiliza para a concessionária de energia.

Uma das formas mais simples de entrar nesse universo e começar a produzir e vender eletricidade é instalando um kit fotovoltaico.

O kit capta a luz solar e transforma em energia elétrica de maneira transparente, sem complicações, absolutamente segura e o melhor de tudo: automática.

Veja como funciona a geração de energia distribuída em empresas e em residências.

Benefícios da geração distribuída

Já falamos um pouco sobre os benefícios do solar fotovoltaico. Eis aqui uma pequena lista com as vantagens da geração energética distribuída:

  • Confiabilidade;
  • Minimização de impactos ambientais;
  • Redução de perdas elétricas;
  • Diminuição de investimentos;
  • Agilidade ao atender a demanda.

Confiabilidade

Sabe aquela máxima “dividir para conquistar”? Esse é o real benefício de um sistema de geração distribuída.

Você consegue fazer com que cada unidade, seja uma casa ou uma empresa, produza a própria eletricidade e não dependa de um grande órgão central para fazer a geração e a distribuição.

Apesar de termos visto a CEMIG trabalhando com excelência nas últimas décadas, a geração distribuída nos permite contar com ela somente em casos de emergência.

É como ter um chuveiro elétrico mesmo tendo água aquecida com um sistema de aquecimento solar de água. É questão de segurança.

A partir do momento que cada casa ou empresa conta com fontes próprias de geração de energia, possui cargas controláveis e dispositivos de armazenamento, tudo fica mais fácil, menor, mais simples de gerenciar e, por isso, confiável.

É o que há de melhor em termos de estabilidade energética e isso vem à tona sempre que há grandes chuvas, tempestades, riscos de blackout ou racionamento de energia.

Impactos ambientais da represaMinimização de impactos ambientais

A GD reduz os impactos ambientais causados pelas grandes obras necessárias para instalação de grandes usinas geradoras de energia.

Para uma hidrelétrica funcionar, é preciso construir descomunais reservatórios e extensas linhas de transmissão.

Itaipu e Furnas, por exemplo, alteraram completamente os biomas onde foram inseridas uma vez que produziram o alagamento de enormes regiões afetando a fauna, a flora e o microclima do local.

A produção descentralizada de energia é o que temos de melhor do ponto de vista ecológico quando a geração é feita com painéis solares fotovoltaicos. Esse tipo de sistema opera de forma silenciosa, não polui e não altera o ambiente onde é inserido.

Redução de perdas elétricas

No universo da geração e transmissão de energia, existe um fenômeno chamado de “efeito Joule”.

De forma breve, ele pode ser descrito como a inevitável perda de energia através da produção de calor. Esse efeito faz com que a quantidade de energia produzida nunca seja igual à quantidade de energia utilizada, afinal, existem perdas na produção e principalmente na transmissão.

Como a geração distribuída elimina a necessidade de uma rede de transmissão, o benefício deste tipo de solução é nítido e grandioso.

Diminuição de investimentos

Além do efeito Joule, que gasta dinheiro silenciosamente e de forma contínua na geração e na transmissão, a GD também faz com que se elimine a necessidade de construir tais redes.

Já parou pra pensar em quanto se gasta abrindo caminho para as redes de transmissão, construindo-as, instalando-as e colocando-as para funcionar?

Agilidade ao atender a demanda

Quando comparada com outros sistemas de geração de energia, a geração distribuída requer menos, bem menos esforço para o licenciamento e para a implantação de novos sistemas.

Como é bem mais simples, os prazos são consideravelmente menores e você pode ter o sistema ligado e produzindo eletricidade em questão de dias.

O dia-a-dia da geração distribuída com solar fotovoltaico

Para entender bem o funcionamento da GD de energia com o kit solar fotovoltaico, vamos pensar num dia de uso do sistema…

Imagine que este dia começa com o nascer do sol:

  1. O sol nasce e seus primeiros raios atinges os coletores que já começam a produzir energia pra você.
    Neste momento, sua casa está consumindo energia da companhia energética pois a produção só acabou de começar.
  2. Conforme o sol vai se levantando, a geração de eletricidade aumenta ao ponto de suprir o consumo da casa.
    Neste momento, não há consumo da energia da CEMIG.
  3. Durante todo o dia a produção energética é maior do que o consumo e este saldo é registrado pelo medidor e fica salvo como créditos energéticos.
  4. O sol começa a se por e a produção, devido à baixa do sol, começa a diminuir. Você chega em casa, precisa do chuveiro elétrico, da banheira aquecida, do micro-ondas para aquecer sua janta, etc.
    Neste momento, o consumo passa a ser maior do que a produção de energia, logo, você passará a consumir seus créditos energéticos até que o sol volte a nascer e assim o ciclo se reinicia.

Alguma dúvida com relação à geração distribuída?

Fale com a gente! Trabalhamos com GD há vários anos e estamos perfeitamente familiarizados com o processo de planejamento, licenciamento e instalação deste tipo de solução para casas e empresas.

Hoje em dia é fácil financiar o sistema e você pode ter o solar pago com a economia que ele lhe proporciona.

Liberdade energética, proteção contra a inflação, retorno rápido do investimento, preservação do meio ambiente, economia mensal… Tudo isso está mais próximo do que você imagina!

GreenVolt Energia Solar FotovoltaicaSe você tiver alguma dúvida com relação à geração distribuída ou à qualquer outro tema deste universo da energia solar fotovoltaica, fale conosco! Estamos sempre disponíveis através do (31) 3032-2816 ou do (31) 99988-2771.

Caso você prefira conversar olhando nos olhos, fique à vontade para passar por aqui. Estamos na Avenida das Américas, 872, aqui no centro de Betim.

Nossa equipe está sempre pronta para sanar todas as suas questões e lhe ajudar a identificar qual a melhor solução energética para você.